As "cidades do futuro" pretendem ser verdes, sustentáveis, inteligentes e low cost. Isto já existe. Chama-se "Campo". Frederico Lucas

Sunday, August 06, 2006

Cidades do Interior I

Em conversa de café com o Nuno, este chamou a atenção para algo que todos sabemos e raramente pensamos no assunto: Sempre que um repórter de televisão produz uma notícia fora das CHAGAS URBANAS, a imagem é sempre de um velhote desdentado ao lado da sua esposa de luto.
Aparentemente pitoresco para quem assiste a partir das referidas chagas, esta imagem transmite (até à exaustão) a ideia de que o interior é apenas isso.

A democratização do conhecimento, através da imprensa regional e da cobertura nacional da banda larga, tem vindo a homogeneizar o nivel cultural e intelectual da população portuguesa.

O interior é composto por cidades funcionais, onde a deslocação aos mais diversos serviços se faz geralmente a pé, e onde nascem pequenas unidades de negócio com um "costumer service" que nas grandes cidades raras vezes existe.

Esta imagem sistemática de "coitadinhos atrasados mentais" tem que mudar.

Para isso, todas as associações de municipios devem, numa perspectiva de promoção regional, encontrar junto das televisões interlocutores que compreendam a nova realidade promovendo oportunidades económicas para as suas regiões.

A título de exemplo: Quantas clientes de internet banda larga 4Mb em Lisboa/Porto beneficiam de 2,4 Mb reais de tráfego (três vezes superior à média europeia e 50% superior a banda larga T-1)? Fará sentido que nas médias organizações nacionais, os serviços não-comerciais continuem a funcionar nas grandes cidades, onde os custos com pessoal e instalações são 200% superiores a uma cidade do interior cuja qualidade de vida (social, ambiental e económica) é incomparavelmente superior?

2 comments:

al cardoso said...

De facto embora se encontrem pelas nossas terras esses velhos desdentados, tambem temos gente jovem, embora nao tantos com gostariamos.
Esperemos que os nossos autarcas possam patrocinar um maior desenvolvimento, para estancar ou ate reveter a saida de mais jovens.

Frederico said...

Na minha óptica, vamos assistir ao êxodo urbano, devido a dois factores:
- Independência geográfica do trabalho, por mérito da cobertura nacional de banda larga
- Elevados custos económicos na vida citadina

Vamos agurdar


Frederico