As "cidades do futuro" pretendem ser verdes, sustentáveis, inteligentes e low cost. Isto já existe. Chama-se "Campo". Frederico Lucas

Thursday, October 12, 2006

Madrid, acessos para todos

A autora do blogue Monólogos & Diálogos esteve recentemente em Madrid para assistir ao grande concerto do George Michael. Questionei-a sobre o que teria identificado, em termos de organização e funcionamento da cidade madrilena, que denunciasse uma aptidão superior ao existente nas nossas grandes cidades.
A resposta, que se segue, orientou-se na direcção das acessibilidades dos cidadãos com necessidades especiais.

Não é preciso ser muito perspicaz para perceber que, em Madrid, há acessos para deficientes motores em variados locais. Restaurantes, museus, teatros, cafés, entre outros locais, estes meios existem. Sejam rampas ou cadeiras elevatórias eléctricas, estes acessos fazem parte do dia-a-dia madrileno e a sua presença não é indiferente a ninguém. Não há dúvida que nuestros hermanos dão mais atenção e se preocupam mais com todos os seus cidadãos do que os portugueses, pelo menos na capital daquele país. Por terras espanholas eliminar os obstáculos com que os deficientes se deparam diariamente parece ser uma preocupação que pretende deixar de o ser.

Não há quem não tenha ouvido histórias sobre deficientes motores que tiveram dificuldade de acesso a um local público ou de lazer.

A enorme escadaria do teatro onde está em exibição o musical de sucesso Mamma Mia, na Gran Via, poderia ser um obstáculo para um cidadão que circule numa cadeira de rodas. Mas a cadeira elevatória eléctrica na mesma entrada prova que este espectáculo é acessível a todos e que não há cidadãos de primeira nem de segunda no que diz respeito ao entretenimento. No Museu Nacional do Prado cadeiras semelhantes às descritas dão acesso a uma vasto espólio de pintura para todos. O restaurante Bazaar (onde a nouvelle cuisine é levada ao extremo) tem acesso a todos os que quiserem desfrutar de um ambiente moderno, fashion e encantador.

No decorrer da visita à capital espanhola várias vezes verificámos que esta cidade pretende estar ao alcance de todos os cidadãos e que a quebra de barreiras é uma preocupação constante dos senhores que guardam consigo o poder de decidir sobre estes assuntos. Pena que em Portugal esta situação ainda seja tão desprezada e negligenciada! Temos mesmo aqui ao lado quem nos saiba dar algumas lições sobre este assunto.
Saudações virtuais
BlueAngel



Muito obrigado pela tua contribuição!

4 comments:

BlueAngel said...

Obrigada eu! :-)

Frederico said...

:-)

LBG said...

Por acaso, também estive em Madrid recentemente e essa foi uma das coisas que constatei. Oxalá Portugal comece a importar mais estes exemplos, já que importa tantos outros, muitas das vezes perfeitamente inúteis!

al cardoso said...

Precisamente sobre este tema: "mobilidade" escrevi a dias no: http://aquidalgodres.blogspot.com

De facto tanto de Espanha como de qualquer outro pais, so importamos os maus exemplos.
Por alguma razao, neste momento e ja um dos paises mais avancados da Europa e estava tanto ou mais atrazado que nos, mas talvez la nao haja tanto "chico-espertismo"

Um abraco fornense.