As "cidades do futuro" pretendem ser verdes, sustentáveis, inteligentes e low cost. Isto já existe. Chama-se "Campo". Frederico Lucas

Wednesday, October 18, 2006

Madrid, operação limpeza

No seguimento do desafio lançado à BlueAngel, já anteriormente anunciado, publica-se a 2ª parte do texto sobre a viagem a Madrid, desta vez dedicado às operações de limpeza subsequentes à realização dos eventos.

Botellón, botelleo ou botellona é uma prática comum em Espanha desde finais do século XX. Trata-se do facto de levar bebidas alcoólicas, sumos, pequenos snacks e tabaco para as ruas e consumi-los com os amigos em qualquer lugar público, desde que fora de portas. Qualquer calle fica imunda e num estado lastimável depois de uma noite de animação e confraternização deste tipo. São garrafas pelo chão, copos em cada esquina, sacos de supermercado por todo o lado e lixo até perder de vista. O primeiro comentário natural perante este cenário é: “que nojo! Como é possível? Amanhã deverá ser impossível passar por aqui!” Enganem-se todos! Não é por acaso que o botellón foi proibido em Barcelona este ano. Não sei como se passava o pós-botellón na capital da Cataluna, mas em Madrid é impressionante a forma como o lixo é recolhido em três tempos e com método:

primeiro – o lixo é recolhido em montes separados ao longo das ruas;

segundo – os desperdícios são colocados em sacos próprios, atados com um nó e assim ficam em pequenos conjuntos;

terceiro – o carro do lixo passa e são recolhidos todos os sacos que estão de um dos lados da rua;

quarto – volta a passar o carro e os funcionários apanham os sacos que se encontram do lado oposto;

quinto – as ruas são lavadas com água com a passagem de carros próprios de lavagem.

E numa fracção de minutos as ruas recuperam um ar limpo e agradável. De manhã quando se regressa às calles parece que se está noutra cidade, mas ainda não se saiu do mesmo lugar.

O que há aqui de extraordinário é a capacidade de organização de nuestros hermanos e a forma como conseguem ter a casa em ordem depois da verdadeira tempestade por ali ter passado. A forma como toda esta operação está organizada e é posta em prática é a prova de que a logística madrilena no campo da limpeza e manutenção da cidade é uma máquina bem montada e em bom funcionamento. Só posso falar como espectadora, não falei com nenhum responsável por esta operação, fiquei impressionada pela forma como se pode colocar uma cidade de pé em poucas horas. Mais um exemplo que temos de anotar, afinal não temos por cá o botellón e as nossas ruas, às vezes, bem que precisavam de uma limpeza a sério. Saudações virtuais

BlueAngel

NB – informações mais detalhadas sobre o botellón

NB – as fotos são retiradas da net, mas reais. Por razões de segurança não era conveniente levar a máquina fotográfica para a rua à noite.

3 comments:

al cardoso said...

E de louvar essa eficiencia, mas eu preferia ver nesses lugares recipientes para o lixo diferencados, e de acordo com as normas ambientais e esses "lixantes" recolherem tudo, antes de recolherem a suas moradas.

Serao diferentes maneiras de ver, mas mostraria mais civilidade, e pouparia uns cobres publicos!!!

Um abraco fornense.

Frederico said...

Caro Albino e restantes visitantes,

Está publicado no site da SIC um texto que vem de encontro a esta discussão.


Um abraço

Frederico said...

PS: Thanks BlueAngel