As "cidades do futuro" pretendem ser verdes, sustentáveis, inteligentes e low cost. Isto já existe. Chama-se "Campo". Frederico Lucas

Wednesday, March 07, 2007

Kjell Nordstrom

inovart.te: Qual é a maior ameaça com que Portugal tem de saber lidar?
KN: Portugal não é uma excepção, mas quando estou no vosso país fico com a sensação que falhar não é algo aceitável, que não é boa ideia ir à falência; parece obrigatório fazer sempre bem à primeira. A questão é que assim não se pode ser inovador porque a inovação requer muita experimentação e que se falhe por vezes. A ideia de que é uma vergonha errar e falhar não é um bom ponto de partida. É um problema, é difícil de mudar, mas podem começar pelas escolas, universidades, pelo governo. Vejam o caso de Singapura!

(entrevista completa no nº 3 da revista inovar.te)

7 comments:

Sea Spirit said...

Inovar não é tarefa fácil. Só será possível quando se mudarem mentalidades. Quando tivermos coopetição em vez de competição, trabalho em equipas especialistas em vez de trabalho individual, trabalhadores cada vez mais exigentes, etc.

Muitos atribuem as culpas ao abandono escolar, ao sistema de ensino,etc. Também, mas grandes factores de resistência à mudança, existem no interior das próprias empresas: na baixa qualificação da maioria dos empresários.

Frederico said...

Muito obrigado pela participação.
Julgo que a economia esquemática também tem algo a ver com isso.
Raras vezes se premeia que inova.

Sea Spirit said...

É verdade, raramente se premeia quem inova.
Os trabalhadores acomodados, que vivem para trabalhar e não fazem grandes exigências (ou melhor nenhumas) são os mais requisitados... E os que adquirem competências para quadros superiores enchem as listas de desempregados!!

Desde já, aproveito para agradecer a participação no Tertúlias, será sempre bem-vinda.

Saudações

Pedro said...

É tudo uma questão de educação. Ou melhor, de instrução e literacia...

Frederico said...

:-)

Um pouco como o "label" do Ordenamento: "Ordenamento ou falta dele!

Obrigado pela visita Pedro!

Great Houdini said...

Inovar está na ordem do dia e esse é de facto o seu lugar. Parabéns a este blog por se dedicar a esta luta, Inovação para a Inclusão.

Quanto a inovação ser uma panaceia milagrosa já tenho algumas dúvidas...mas essa é outra discussão :)

O povo português até que nem sofra da lacuna de falta de inovação... Por vezes tenta-se icentivar a inovação, mas já lá está! Deviam-se preocupar mais com os efeitos que inibem a inovação.

Kjell Nordstrom alerta para algum deles: o medo cultural de falhar, a existência de instituições castradoras, etc

Como foi já referido há grandes factores de resistência à mudança esse deve ser o primeiro foco de batalha.

Frederico said...

Great,
Obrigado pelas tuas palavras!

Vamos continuando a desbastar a temática...